IBBN - Dourados / Logo
 
  Sii - IBBN  
Louvor, Adoração e Compromisso
Com a Palavra de Deus
 
AUDIO MP3
FOTOS
VÍDEOS
MISSÕES
NOVIDADES
PÃO DIÁRIO
ESTUDOS
AGENDA
CONTATO
 
ULTIMAS NOTÍCIAS Voltar
   
Pão Diário Alemanha tenta pagar para refugiados muçulmanos saírem do país

Desde o início da crise dos refugiados, em 2015, o governo alemão anunciava sua política de “portas abertas”. Um dos principais destinos das pessoas que fugiam de conflitos no Oriente Médio e no Norte da África, a Alemanha recebeu mais de um milhão deles.

Contudo, o grande número de crimes realizados pelos imigrantes custou à chanceler Angela Merkel grande parte da popularidade que tinha e deve comprometer sua reeleição para um quarto mandato. Na tentativa de recuperar votos, anunciou mudanças drásticas na maneira como lida com os refugiados no país.

Ela se reuniu com os governadores dos 16 estados da Alemanha esta semana e anunciou um plano de emergência para expulsar mais rapidamente aqueles que tiveram seus pedidos de asilo rejeitados. Segundo a imprensa, o governo alemão já rejeitou mais de 170 mil pedidos.

Contudo, conseguiu repatriar apenas 26 mil pessoas. Além disso, 55 mil saíram do país de forma voluntária. A chancelaria deseja acelerar as deportações para que não chegue no final do ano – época das eleições – com 450 mil imigrantes rejeitados vivendo no país às custas do governo.

Após a reunião, Merkel admitiu que “as partidas voluntárias não acontecerão se as pessoas souberem que nunca vão ser repatriadas para o seu país de origem”. Por isso, foi anunciado um plano de 16 pontos. Um deles é a criação de “centros de partida” perto dos aeroportos, onde os imigrantes ficariam até serem deportados.

Outra proposta é oferecer “incentivos financeiros” para a partida voluntária. Ou seja, as pessoas receberiam dinheiro para saírem do país. Apesar das queixas de grupos de direitos humanos, Merkel tem um orçamento de cerca de 300 milhões de reais para esse fim.

O ataque terrorista que matou 12 pessoas no mercado de Natal em Berlim, no final do ano passado foi realizado pelo tunisiano Anis Amri. Mais tarde se descobriu que ele era um radical islâmico cujo pedido de asilo foi rejeitado, mas que não fora expulso do país.

Um levantamento publicado pelo jornal The Times mostrou que 55% da população dos 10 países europeus pesquisados – incluindo 53% na Alemanha – concordam que toda imigração de países majoritariamente muçulmanos deveria parar. Essa é a postura adotada pelo presidente Donald Trump, nos EUA, e que lhe rendeu tantas críticas.

publicado dia: 14 de fevereiro de 2017
Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br/alemanha-pagar-refugiados-muculmanos-sairem/

 
Pastoral
Irã ameaça Trump e diz que destrói Israel em 7 minutos


Pastoral
Lula transforma velório em comício e diz que Lava-Jato é culpada pela morte de Marisa Letícia


Pastoral
Rodolfo Abrantes fala sobre trabalho com crianças de rua


Pastoral
Novo secretário-geral da ONU reconhece ligação de judeus e Jerusalém


Pastoral
Israel denuncia aumento de antissemitismo em várias partes do mundo


Pastoral
Deus tem propósito até nos dias mais difíceis, diz mulher de Eike


Pastoral
Real Madrid retira cruz de escudo para não desagradar muçulmanos


Pastoral
Irã poderá construir em breve 10 bombas nucleares


Pastoral
Magno Malta quer ser presidente do Brasil, “Se for plano de Deus”


Pastoral
250 líderes evangélicos vão a Washington defender Israel


Pastoral
IBOPE confirma: O brasileiro está cada vez mais conservador!


Pastoral
“Deus não é seu fantoche”, lembra pastor da maior igreja dos EUA


Pastoral
Conheça o versículo da Bíblia mais lido pelos brasileiros em 2016


Pastoral
SBB completa 150 milhões de Bíblias produzidas



 
 
 
IBBN - Dourados / Logo
A Igreja Congregações Fotos Vídeos Estudos Novidades Agenda Contato
Facebook   Twitter   Youtube   Youtube

IBBN - Igreja Batista Boas Novas End.: Manoel Rasselen nº1205 / Jardin Vista Alegre, Dourados-MS / CEP: 79813-070 / Fone: 67 - 3425-4545
Flag Brasil - Logo